Projeto de extensão desenvolve vídeos experimentais

. 02 julho 2009
Adquirir conhecimento sobre a produção das instituições de ensino superior na região é essencial para usufruir e cobrar benefícios. Nesse sentido, divulgar as ações das universidades contribui para a comunidade identificar o que pode ser útil ao seu cotidiano, além de ser uma oportunidade de exercício da criação jornalística.

Com o intuito de exercitar a teoria e desenvolver a prática telejornalística dos estudantes de Jornalismo em Multimeios, o projeto de extensão Programas Experimentais de Televisão do Departamento de Ciências Humanas da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) desenvolve, desde setembro de 2006, vídeos experimentais.

Atualmente, uma das produções é o Info Campus, projeto que visa divulgar ações de ensino, pesquisa, extensão e serviços oferecidos à comunidade na UNEB de Juazeiro. Veja abaixo, um vídeo produzido sobre o projeto A Hora do Conto, com a reportagem de Pablo Moura.

video


Luciana Passos, monitora do projeto, já produziu dois boletins e duas reportagens, além de acompanhar a produção de outras matérias. Ela destaca que “o mais interessante é poder exercitar o texto de TV, a maneira de segurar o microfone, entrevistar, olhar para a câmera, como se expressar, algumas regras básicas que a gente vê na disciplina [telejornalismo] e principalmente perceber os erros para poder melhorar”.

A estudante releva ainda não ter se familiarizado com a câmera e confessa ser esse um dos motivos de ter entrado no projeto. “Desde sempre eu nunca tive afinidade com ela. E aí eu decidi participar do projeto para ver se eu melhorava”.

Como o curso oferece somente uma disciplina obrigatória de telejornalismo, o projeto de extensão torna-se uma alternativa para o exercício discente. “Já que a gente só tem uma cadeira de telejornalismo, a prática fica muito limitada, então quem tem interesse pode exercitar um pouco mais o texto, a linguagem jornalística”, afirma a coordenadora do projeto Fabíola Moura.

Os assuntos a serem trabalhados são aprovados nas reuniões de pauta e, em seguida, são desenvolvidos, para cada tema, dois formatos, o boletim de um minuto, no qual se exercita a capacidade de síntese, e a reportagem especial, com maior duração e abordagem aprofundada.

Já foram produzidos oito boletins sobre os projetos de assessoria jurídica, Cine Encontro, A Hora do Conto e Galeria Euvaldo Macedo. Os programas são exibidos na TV UNEB, em Salvador, e no blog MultiCiência que, a partir desta edição, publicará os boletins. As reportagens, por enquanto, estão arquivadas para exibição futura, inclusive em sites.

A coordenadora informa que houve a intenção de divulgar os boletins na TV aberta local. “A gente acredita que a Universidade tem muita coisa interessante que está sendo oferecida para a comunidade e nem sempre a comunidade tem acesso a essa informação, por isso a gente tem o interesse de exibir na TV aberta”, enfatiza Moura. Contudo, há controvérsia em relação ao posicionamento das emissoras contatadas, pois, segundo a coordenadora, uma quis intervir no conteúdo e a outra considerou os vídeos como propaganda institucional da UNEB.

Com as dificuldades na contratação de editor e cinegrafista para o curso de Comunicação Social, algumas ações são limitadas, o que impulsionou à procura de alternativas como parceria com instituições. Em busca da prática contínua, o projeto Programas Experimentais de Televisão fez parceria, este ano, com o Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada (IRPAA) para desenvolver o programa experimental de TV Coisas do Sertão, o que permitirá aos participantes uma experiência extracurricular.

Por Naiara Soares, texto e foto