Programa Mais Educação e os desafios da educação integral

Multiciência 07 março 2017
Aprofundar os conhecimentos sobre políticas públicas educacionais e as medidas socioeducativas contemporâneas na educação integral. Este foi o tema da dissertação "O Programa Mais Educação nas Escolas Municipais professor Laurita Coelho Leda Ferreira e José  Cícero de Amorim em Petrolina -PE no período de 2010 a 2015, defendida pela mestranda Rosymarilethe Ribeiro de Amorim,  no Programa de Pós - Graduação Mestranda em Educação  Cultural e Território Semiárido (PPGESA), da Universidade do Estado da Bahia, campus III, em Juazeiro, Bahia.

A professora da Rede Municipal de Petrolina utilizou pesquisa qualitativa para fundamentar a sua análise, descrevendo a contextualização do programa em localidades que foram aplicadas. Além de demonstrar as vertentes teóricas direcionadas à  educação em tempo integral, a professora discutiu o pensamento educacional nas diferentes períodos históricos e os caminhos percorrido até  a implementação do Programa Mais Educação em Pernambuco e o diálogo com os saberes e costumes locais.

A pesquisadora coletou dados com 150 estudantes do primeiro ao quinto ano divido em três turnos. “A maior dificuldades encontrada para continuar com a nossa análise na zona Rural foi o transporte, pois os alunos do turno vespertino teriam que dividir o transporte com os alunos do turno matutino e isso provocou evasão de alguns alunos", explica  Rosymarilethe.

A dissertação teve como resultado promover um olhar reflexivo sobre possíveis mudanças sobre o programa e incentiva a participação de outros pesquisadores a investigarem  temas relacionados, além incentivar instituições privadas a participarem  do programa.

Programa Mais Educação

O Programa Mais Educação foi criado pela Portaria Interministerial nº 17/2007 e regulamentado pelo Decreto 7.083/10, constituindo-se como estratégia do Ministério da Educação para indução da construção da agenda de educação integral nas redes estaduais e municipais de ensino. O programa amplia a jornada escolar nas escolas públicas, para, no mínimo, sete horas diárias, por meio de atividades optativas direcionadas a temas como educação ambiental; esporte e lazer; direitos humanos em educação; cultura e artes; cultura digital; promoção da saúde; comunicação e uso de mídias; investigação no campo das ciências da natureza e educação econômica e acompanhamento pedagógico.
O programa mais educação envolve 25 programas Federais formulados pelos ministérios participantes como Ministério de Ciência  e Tecnologia, Ministério da Educação, Ministério do Desenvolvimento Social  e Combate à  fome , Ministério do Meio ambiental.

Para conhecer a produção científica do PPGESA, clique em . A dissertação de Rosymarilethe Ribeiro de Amorim foi aprovada no dia 3 de março e estará disponível nos próximos seis meses no site.

por Ylanna Santos