Todas as linguagens artísticas movimentam o Aldeia do Velho Chico até o dia 22 deste mês

. 09 agosto 2015



O Teatro Dona Amélia foi palco, na última sexta-feira (7), da Mostra Pedagógica de Artes, como resultado das oficinas que vinham sendo realizadas com alunos de escolas públicas dos municípios de Petrolina e Lagoa Grande, desde o final de julho. O evento – que faz parte da programação do Aldeia do Velho Chico 2015 organizada pelo Sesc – deu a largada a diversas apresentações de música, dança e teatro, entre outros eventos que ocorrerão até o dia 22.
Após a mostra, o público assistiu às apresentações de grupos de hip-hop e do grupo Afoxé filhos de Zaze de Juazeiro (BA). O centro da cidade também foi tomado pelo cortejo ‘Abre alas pro Velho Chico’ formado por grupos culturais da região abriu oficialmente a 21ª edição do Festival de Artes do Vale do São Francisco.
Grupo Afoxé Filhos de Zaze
Segundo a estudante Geiza Braz, participante da oficina de teatro ministrada por Juliene Moura na cidade de Lagoa Grande, a oportunidade foi prazerosa e lhe abriu novos ensinamentos. “Momentos como esses permitem o conhecimento e interação com o meio cultural. Aliás, cultura é algo que todos precisamos também”, completou.
As atividades desta edição do Aldeia foram distribuídas entre Petrolina e Lagoa Grande. Ao todo serão 130 apresentação envolvendo música, dança, teatro e literatura com, com a participação de artistas de São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco, Bahia e Ceará. Além de exposições, a agenda conta com oficinas, shows e exibição de curtas a exemplo de “Garota da moda” e “Vou contar para os meus pais” de Tuca Siqueira.
No campo da literatura, haverá o lançamento do livro “Denso e leve como o voo das árvores” de Renata Pimentel, professora da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE).
Cortejo Abre Alas pro Velho Chico
No domingo (9) o palco de eventos será um trecho das Ilhas do rio São Francisco, com a exposição “Mostra flutuante de artes visuais”, com apresentações dos grupos Samba de véio, Grupo Bongar de Olinda (PE) e Cia de Dança do Sesc Petrolina - que nesta edição está sendo homenageada pelos seus 20 anos de atividades.
O Aldeia do Velho Chico traz ainda a proposta do “Tecendo ideias” que busca discutir as artes e seus gêneros e linguagens. No espaço café de Bule, ocorre o “Cena Gastrô”, onde os visitantes encontram um cardápio diferenciado com pratos personalizados de com os espetáculos. Para encerrar toda a programação no dia 22, será realizado o “Virarte”, com 12 horas interruptas de apresentação artísticas. 

Por Taiza Felisberto